3 de dezembro de 2015

Rafael! Menino mal comportado.

Procurava eu o estabelecimento onde iria comprar o que precisava, quando vejo uma mãe super desesperada e chorosa a chamar pelo filho: «Rafael, Rafael, Rafael
De imediato todos os que por perto passavam, eu incluído, tentamos junto da desesperada senhora, acalmá-la e ajudar naquele momento trágico, que é perder uma criança.

Como se chama? O que veste? Que idade tem? A altura?… «Rafael é o meu cão de estimação…»

WTF ?

Mas que mania esta dos nomes próprios em animais de estimação? Ainda por cima Rafael é o nome de um familiar meu…  não gosto, não gosto, não gosto.

Depois de ter chamado uns nomes estranhos (baixinho) à “mãe desesperada” que já estava a virar costas ao pessoal que ali se juntou porque entretanto o canito apareceu (depois de ter dado uma mija à porta da sapataria), segui o meu caminho e a pensar nos nomes de todos os cães que tive até hoje: Kimba, Snoopy, Leão…

Se um dia ouvirem na rua alguém a chamar por Stone, não se entusiasmem de imediato e pensem duas vezes antes de pegarem na esferográfica…  eventualmente não será a ‘Sharon Stone’, a quem queriam pedir um autógrafo.

Imagens Google

Dogs (Waters, Gilmour)
- Pink Floyd

You gotta keep one eye looking over your shoulder.
You know it's going to get harder, and harder, and harder as you
get older.
And in the end you'll pack up and fly down south,



«Maria, isto são horas de chegar?»- Para a próxima leva 'tatau'. Viu?

3 comentários:

  1. Uma critica bem humorada. Também não gostamos de animais com nome de gente. A minha neta ganhou o ano passado uma gata. Foi um problema que ela queria que a gata fosse Matilde. Os pais não queriam, e ela do alto dos seus 5 anos dizia. A gata é minha, eu é que lhe ponho o nome. Depois de várias birras acabou por aceitar o nome de Riscas que a mãe lhe dera.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  2. É estranho dar o nome de pessoa a um animal mas há gostos para tudo. Eu cá fico-me pelo boby, rex, max (ok este é de pessoa mas passa).

    ResponderEliminar
  3. Bom...as minhas 2 cadelas que já morreram, uma chamava-se Pituka e a outra Blackie, mas confesso que...á que tenho agora, não resisti e "baptizei-a" de Anita...
    Afinal, contra tudo o que defendem, a cadela é minha cãopanheira e chamo-lhe o nome que muito bem me apetecer.
    Há ou não liberdade de escolha?
    Beijinhos e aquele :)

    ResponderEliminar