31 de dezembro de 2016

Antes que as luzes se apaguem.

E na última sexta-feira do ano de 2016, fui dar o habitual passeio pela cidade numa noite fria, com muito trânsito e alguma confusão. Ainda bem que deixei o carro bem longe do centro.


Jantamos nas calmas na minha pizaria favorita, conversamos, analisamos, recordamos alguns momentos do ano que agora acaba e até pensamos numa ou noutra coisa para o ano que agora vai começar.


Não me posso lamentar muito, foi um ano fantástico em todos os sentidos, cheio de momentos bons, outros menos bons e também outros que nem uma coisa nem outra, mas, acima de tudo houve a coragem, o saber, a união e também sorte (….a tal que protege os audazes), para ultrapassar e ir em frente, sempre com a finalidade de ser feliz, à minha maneira, eu sei, mas que é a minha.

E que melhor maneira de acabar o ano com uma noite de Natal, em que de novo acreditei no Pai Natal e com a sensação de que, ás vezes, os sonhos também se realizam.









Com todas estas lembranças e deliciosas recordações, passeei pela minha cidade, numa noite fria, com um sorriso enorme, boa disposição e antes que as luzes se apaguem…. Porque aí, a realidade é outra. 

Mas isso “são outros 500” como diz o grande filósofo.


Muita saúde e prosperidade, é o que vos desejo. Bom ano!




Tudo de bom!

Este post é dedicado (não só mas também) a todos aqueles que, com o seu profissionalismo, simpatia, paciência e um sorriso, contribuíram de uma ou outra forma, neste ano que agora acaba, para que fisicamente eu me sinta cada vez melhor, com vontade de festejar mais um ano, e nunca desistir. 
É graças aos meus Prof's de natação, hidro-ginástica e ginásio (e todos os outros com quem já trabalhei, não esquecendo VOCÊS, claro, sempre no meu coração), que me sinto uma pessoa feliz. E é isso que eu quero, ser feliz, de preferência rodeado de gente fantástica, como vocês!

12 de dezembro de 2016

Amizade é... plantar uma árvore

Se me pedissem que em poucas palavras dissesse o que é para mim amizade, acreditem que eu teria imensa dificuldade em fazê-lo.  Uns acreditarão no que estou a dizer, porque me conhecem muito bem, outros dirão… «tás doido, tu? Era facílimo», mas não, acreditem que não é fácil, pois sou mais uma pessoa de… gestos, momentos, e esses sim, é  que contam para mim.

(toca o telefone)


- Ouve lá, o que fazes amanhã? 
Para ti estou sempre livre, já sabes.
- Eu sei, mas não quero que faltes ao ginásio...
Não tenho ginásio à segunda.
- Ok. Então vais ajudar-me a plantar 3 árvores de fruto. Alinhas?
Claro que alinho…. Não percebo nada do assunto, mas tu mandas e coordenas!
- Acho que chegou a altura…  já fizeste dois filhos 😍, já escreveste um livro 😊, portanto, está na hora de plantar uma árvore!😉


E assim foi, logo pela manhã, de uma excelente segunda-feira, e na companhia do meu amigo JL, tive o privilégio (e honra) de plantar a minha árvore de fruto, que, como pecador confesso, só poderia ser uma macieira (risos).



Não sei se vai vingar ou não, se dará frutos saborosos, e se estarei cá para os provar, mas estou certo que a nossa amizade, é de longe, o fruto de uma enorme e cuidada planta, com raízes bem fundas e eternas.


Obrigado amigo! Amizade também é isto… plantar uma árvore.
Grande abraço. Estamos aí, sempre!


Tudo de bom!

:)

;)





10 de dezembro de 2016

Chá, Café e Chocolate

Não é novidade para alguns, que eu não gosto muito da minha cidade nesta altura do ano. São questões “sazonais” como eu lhe chamo.


Para ajudar ainda mais à festa, temos o regresso da praga das obras, chegando a ser impossível circular com qualidade em determinadas áreas da cidade. 
Mas, há que aguentar, e manter a esperança que é por uma boa causa.

Era feriado, havia que aproveitar, sem compromissos, veranear, ora desviando o olhar, fugindo das obras, desviando da multidão, ou simplesmente agradar.








O centro da cidade muda constantemente, mas ás vezes pergunto… até quando?

Tudo de bom!
😉

1 de dezembro de 2016

É oficial.


Eu estive lá (na inauguração da árvore de natal, na nossa cidade), mas o pessoal e a confusão era tanta, que nem deu para tirar o telemóvel do bolso para umas fotos. Por essa razão ficam aqui dois registos da PortoLazer, via facebook.



Portanto, é oficial, começou a época de natal e… o meu período de férias habitual. 😎


Tudo de bom.

:)
;)

21 de novembro de 2016

Na tua casa ou na minha?


Está frio…
Não acho. Lá dentro é que estava muito quente.
Sim, mas também venho com roupa muito fresca e agora está na hora de vestir um casaco…
Tenho a blusa encharcada.
Eu tenho os meus pés a ferver.
E agora? Vamos comer qualquer coisa?
A esta hora?
Sim, porque não? Depois de tanta agitação como e bebo qualquer coisa…
Eu também, mas a esta hora… não estou a ver onde vamos comer e beber.
Eu conheço um sítio fantástico e barato.
Óptimo. Onde? Dá para ir a pé?
É perto daqui, é só descer a rua.
A sério?
Sim.
Onde é? Desembucha, pá!
Na tua casa, ou na minha?

😋

 Tudo de bom!
:)
;)

12 de novembro de 2016

Começou a nevar

E foi mais uma semana de Novembro, em tons de Outono… algum frio, pouca chuva e algum nevoeiro.

As notícias trouxeram o óbito de mais um cantor (compositor, poeta e escritor), Leonard Cohen, e de imediato não faltaram mensagens de pesar, RIP em dose q.b. e muita gente a ouvir e a fazer ouvir, de novo ou pela primeira vez a voz do cantor.

Depois também tivemos outras notícias, com outros “cantores”… e que bem cantou de galo (não, não é o de Barcelos nem o de Arouca), o tal ‘Americano do cabelo esquisito’, que ganhou as eleições para o poleiro mais famoso do mundo, a Casa Branca

Uns gostaram, outros não, mas a verdade é que DT ganhou, e com isso fiquei a saber (vejam lá esta dinâmica), que por cá, nesta santa terrinha à beira-mar plantada e do outro lado do oceano, há muita gente conhecedora e especialista em política externa, mundial, e principalmente muito preocupada com o futuro. Só não sei a que futuro se referem.


Mas pronto, é o que se pode arranjar, assim de um momento para o outro, num final de sábado sem Verão de S. Martinho, mas ainda com sabor a castanhas e vinho.

E também já começou a nevar… na Polónia.





Tudo de bom!

:)
;)

5 de novembro de 2016

E se eu tinha ido?


«Tu és o máximo!»

E eu, todo vaidoso pergunto:
- Mais um pouco?
Ao que ela respondeu de imediato:
«Claro! De que estás à espera?»
- Ok. Vamos lá


What is love.

Vá... devagar que ainda agora chegamos (começamos). 


What is love.

 Olha que os sapatos são novos.

This is the rhythm of my life.


- Que perfume é este que trazes hoje?

Não me digas que já não te lembras do que ofereces… Tens que deixar de beber espadal!
- Ainda te lembras?
Há coisas que não se esquecem, é como andar de bicicleta. 
- Sim, mas tu até nem sabes andar de bicicleta.


«Mas ando sempre prevenida.»

Esta frase fez-me viajar no tempo… 


Estava cansado mas feliz por dar um salto até ao Porto, ver amigos e a minha mãe, que já não via há umas semanas.

Já com o comboio a iniciar a sua marcha, procuro o meu lugar. Ao meu lado uma mulher, com uma blusa e um perfume que ainda hoje recordo.

- Bom dia
Bom dia.
- Em viagem de passeio ou trabalho?
As duas coisas. E tu?
- Vou até casa gozar uma folga de 3 dias.
Eu sou a T....

- Olá T... Eu sou o Flores... AFlores ;) :)

Ás vezes questiono…E se eu tinha ido aquele jantar?

Tudo de bom!
:)
;)

22 de outubro de 2016

Tal pai tal filho ;)


Aquele momento em que te apercebes que está toda a gente a olhar para ti… visto que tens os “phones” mal postos no telemóvel e, o que estás a ouvir (e a dançar!)… os outros também estão a ouvir.  P***!Deixa lá ;) comigo já aconteceu o mesmo... a meio de um treino e ainda por cima a fazer da garrafa de água o microfone. Que p**** !!

:)
:)

Tudo de bom.

;)

19 de outubro de 2016

E as mulheres bonitas.

Eu já disse algumas vezes e volto a repetir:
Gosto de agendas, canetas e… mulheres bonitas.



Não perguntem porquê, mas acho que têm muito em comum… as agendas, as canetas e as mulheres bonitas.

Imagens Google

Tudo de bom!
:)
;)

13 de outubro de 2016

Obrigado, Baixinho!

Conheci-o há muitos anos, muitos mesmo, era eu um miúdo ainda de calções, quando comecei   a cruzar-me com ele. Era pouca a distância do local onde eu morava para a casa dele, que era ao lado da casa onde moravam familiares meus.


Ás vezes eu brincava no quintal desses familiares, e ás vezes devido ao entusiasmo da brincadeira, ou melhor, do jogo, lá ia a bola para o outro lado precisamente o quintal do Sr. Fernando, como era conhecido.

Uns anos mais tarde, já eu trabalhava e estudava, comecei a “reparar” na filha dele… mas ela não queria nada comigo, talvez por causa dos meus longos cabelos, preferências musicais e alguns pormenores que ia sabendo pelos meus familiares que moravam ao lado.

Pouco depois e no calor de lutas políticas logo a seguir ao 25 de Abril, começamos a cruzar-nos mais vezes e do mesmo lado da “barricada”. Nessa altura ainda era para mim, o Sr. Fernando, um homem de estatura pequena, mas enorme de postura, educação e amigo.

Gostava de música de intervenção (era amigo pessoal de alguns nomes conhecidos), ouvia também alguma música clássica, adorava Deep Purple, Rolling Stones, Black Sabatta e Pink Floyd! Um autodidacta, amigo do seu amigo, que adorava conversar  e estar rodeado de malta fixe como ele dizia.
Para essa malta fixe era conhecido e tratado carinhosamente por ‘Baixinho’.


O Baixinho foi para mim, juntamente com o meu avô materno, uma referência, um ídolo e muitas vezes (nunca lho disse) um pai.

Anos depois no dia do meu casamento (com a filha dele … a tal que não me ligava nenhuma), e enquanto me dava o primeiro abraço como meu sogro, disse a sorrir: «olha o que me havia de calhar na rifa!»

Obrigado Baixinho por teres feito parte da minha vida. Estou grato pelas nossas  vidas se terem cruzado. 

Tudo de bom.

:)
;)

'Shine on you crazy diamond.'




3 de outubro de 2016

E tu a tomares banho

(Ainda o mês de Setembro)

Ai Setembro, Setembro!

Aquelas noites na praia, as caipirinhas, a sangria, o calor, o mar, as tostas (oh yeah),o protector solar, o sol, o rio, o peixe, as bolinhas, e as conquilhas, as conquilhas!



Ai Setembro, Setembro!


As minis, as menos minis e as nem por isso… o chocolate, os fins de tarde, o sol a nascer e tu... tu  a tomares banho, tu a tomares banho qual sereia de outro mundo que me veio raptar….
E o pão quente acabadinho de sair do forno? Ai minha mãe, que tentação, que loucura!


Ai Setembro, Setembro!

Os gelados, os pasteis de massa tenra, o vinho maduro, os cálices de Porto e a amarguinha com limão (alcoólicos!).

A muxama… o queijo, o polvo e tu… tu a saíres do banho, tipo contra luz… “tás a bere?”


Ai Setembro, Setembro!

As caminhadas, as “conversas com o senhor”, as sopas, as saladas e os gatos, os gatos! E os cães, os galos as galinhas e as ovelhas. Sardinhas assadas, pimentos e o café com cheirinho, claro!


Ai Setembro, Setembro!

Noites quentes, dormir por cima dos lençóis, de janela aberta, o cheiro do creme hidratante,

e tu… tu a saíres do banho. Não… ainda estás no banho e eu continuo à espera.


Tudo de bom.

:)

;)




29 de setembro de 2016

Está quase, não te enerves!


Anda lá despacha-te, tens uma aula de hidro à tua espera. De regresso a casa não  esqueças de comprar comida para os pássaros, para a coelha e para os peixes. Isso já foi ontem. Ok, então vê se tratas da roupa das férias, de arrumar as malas e deitar o lixo fora. Brincamos? Já fiz isso tudo. Não tenho por sistema ir lembrando as coisas, mas já passaste a ferro? Ó mulher, a roupinha tá toda em dia! Tu sabes que gosto muito de "dar no ferro". Se calhar é a mudança da hora que me está a confundir. Qual mudança de hora? É só daqui a um mês... Então vê se vais ás compras e não esqueças de trazer o meu creme das mãos que está mais barato. Estava a pensar ir ás compras para a semana… Mau! Andamos desencontrados? Não, nada disso. Estás a sofrer de ansiedade… mas está quase, está quase. Falta pouco para conheceres a Lucille… não te enerves.

(Acho que me descuidei e trabalhei muito esta semana. Tenho o serviço todo feito... mas não convém dizer isso à patroa porque ainda inventa alguma)



.....
I'm a bitch I'm a lover
I'm a child I'm a mother
I'm a sinner I'm a saint
I do not feel ashamed
I'm your hell I'm your dream
I'm nothin' in between
You know, you wouldn't want it any other way

- Bitch
Meredith Brooks


Tudo de bom

:)
;)

24 de setembro de 2016

Galo na cabeça


O  meu casamento não teve as peripécias como o do meu amigo Agostinho, mas quando me lembro desse dia, há 4 coisas que me saltam logo à memória:  Chuva, Atraso, Perfume e … Porta.

Passo a explicar:


Não é todos os dias que um tipo se casa, por isso não vou esconder que estava algo nervoso e que mais nervoso fiquei quando comecei a constatar que devido à chuva intensa que caía e ao trânsito, eu ia chegar atrasado à casa da noiva, local onde se realizou a cerimónia. 



Quando cheguei e mal tinha começado a subir as escadas  de acesso ao andar, senti  no ar o perfume do meu pai… inconfundível, inesquecível,  e isso deu-me alguma tranquilidade. Ainda hoje consigo sentir aquela fragrância que ele usava… 



Mas, para aumentar ainda mais o atraso (e o nervosismo) e quando pensava ter recuperado alguma calma, sou “assaltado” por uma amiga e seu marido, que fizeram questão de ali mesmo, nas escadas, «deixa ver a cuequinha, deixa ver» (grandes malucos!).


Finalmente lá entrei em casa, com o Padrinho a empurrar-me e a sorrir, enquanto eu ainda apertava as calças…


Quem não gostou nada do atraso foi a representante da Conservatória, que só após a cerimónia, e depois de eu lhe ter dado um beijinho e oferecido um cálice de Porto, ficou mais bem disposta e sorridente.


O resto do dia correu como previsto… o almoço, as fotos, os sorrisos, o bolo, os brindes. 

Eu não estava à espera, e longe de imaginar, era que mais tarde, e já no quarto de um hotel na capital, eu fosse presenteado (a expressão correcta será AGREDIDO!) com uma porta na cabeça! Tal e qual!


Ainda hoje não sei se aquilo foi um acto de violência doméstica, um sinal de que “atenção, quem manda sou eu”, ou uma prova de amor de quem estava habituada a viver sozinha, e se esqueceu completamente que atrás de uma porta pode estar alguém, e naquele dia estava … o marido.


Faz hoje trinta e quatro anos,  e claro, vou estar atento porque… «gato escaldado de água fria tem medo».



- Obrigado Flores Grande, Juca, meu pai… obrigado por teres estado presente no meu casamento, teres espalhado o teu charme habitual e o teu perfume.

- Obrigado S. Pedro por teres “abençoado” aquela sexta-feira.



- Obrigado LF, meu amigo e padrinho de casamento, por conduzires o carro naquele dia chuvoso e com muito trânsito. Ainda bem que estacionamos e fomos a pé para a cerimónia…


- E claro, como não podia deixar de ser,  obrigado …  agressora! Obrigado por me aturares e “levares” comigo durante estes anos todos. Tenho a certeza que por algum motivo válido continuas deste lado, e que não será só pelos meus lindos olhos verdes, saber e gostar de dançar.

E pronto, prometo não voltar a falar desta história, mas é um dos efeitos colaterais do avançar da idade e do «
galo na cabeça».



Tudo de bom!

;)

:)

19 de setembro de 2016

Férias 'Type R'

Reencontro, Recomeço, Recarregar, Repouso, Repasto, Regresso, Repor, Recordar, Recrear, Recuperar, Relaxar…

Com muitos ou poucos ‘R’s, as férias são necessárias para o bom funcionamento e equilíbrio da nossa máquina. Direi mesmo fundamentais.

Foi mais um período, já habitual nesta altura do ano, de entrega total a uma causa fantástica à qual me aplico de corpo e alma… feriar!

Até à próxima!




Tudo de bom.

;)
:)

30 de agosto de 2016

No sítio do costume

Eu até já estava à espera da notícia, e sabia que era uma questão de dias, horas. Por isso não foi muito difícil aceitar a comunicação da minha entidade patronal, que a partir do dia 1 o meu local de trabalho vai ser deslocado.

Não perdi muito tempo a consultar o Código do Trabalho que estipula determinados requisitos e condições para estes casos de transferência do trabalhador. Já são muitos anos de experiência, conhecimento acumulado e não é agora que me vou incomodar com procedimentos e uma transferência temporária.


Sendo assim, e porque o tempo é curto e ainda preciso dar uma vista de olhos à minha mala, fica aqui o meu aviso relativo à minha “ausência temporária” nestas lides blogosféricas.


Não gosto muito de fazer promessas (são como as desculpas, evitam-se), mas sempre que o trabalho deixar e a patroa não esteja por perto, talvez passe por aqui. Caso contrário… hasta la vista, em qualquer lugar ou no sítio do costume.


Tudo de bom!

:)
;)

28 de agosto de 2016

Será que a tua mulher deu a pastilha certa?

Quando me reformei há uns anos, fiquei “sozinho” no grupo porque fui dos primeiros da malta mais chegada a aposentar-me. No entanto, a partir deste mês, tenho mais um parceiro a pertencer ao 'clube', e para comemorar decidimos marcar um dia especial e em grande.
Já era algo que tínhamos falado mais que uma vez «quando me reformar, vamos comemorar», e assim foi.

Ainda o sol não tinha nascido e já eu estava com o meu amigo JL (o novo aposentado, amigo de longa data e companheiro de momentos importantes da minha vida e grandes aventuras), imaginem só, no aeroporto! É verdade, eu no aeroporto, para apanhar um avião!


Andei nervoso a semana toda, não dormi nada,  e acho que cheguei todo “borrado” ao aeroporto…

«olha lá, isto não custa nada, olhas para as pernas da miúda, imaginas uma polaca de desmontar e …»  

Cala-te… até bebi quase meia garrafa de Jack Daniels ao pequeno almoço…


As mãos, as pernas… tudo tremia quando passei pelo funcionário exibindo o bilhete electrónico, deixei cair o telemóvel, e só pedia que ao passar por aquela porta estranha em que um tipo tem que deixar tudo, ou quase tudo, até o cinto das calças, buzinasse alto e bom som e não me deixassem seguir viagem… mas não, tudo correu bem… pronto “já cá estamos” dizia eu baixinho, e não me deu o fanico. Será que o stent aguenta? Porra! Deixa de pensar nessas coisas e … bebe mais um copo! (que noite difícil)

O pior foi ao entrar no avião, cruzes canhoto…«posso ir à casa de banho? Tirem-me daqui, caragu!» Mas isso dizia eu muito baixinho e só para mim, pois não queria ficar mal perante o meu amigo nem em frente daquele pessoal… era o que faltava, um gaijo do Norte?! Era já a seguir.


O problema é que pelos vistos, comecei a ficar muito branco… 

«tás bem?» perguntava o meu amigo… 

«já tomaste aquela cena?»

 Epá, já me esquecia… 

Levei a mão ao bolso e tirei uma pastilhinha de … xiiiiiiii…. Maravilha das maravilhas!


Acho que nem dei conta do avião levantar, nem pousar! Só dei conta do meu amigo me abanar e ajudar a sair do banco quando chegamos… 

«Eu não te disse que era fácil? Já chegamos, é o que interessa. Custou alguma coisa a viagem?»

Não sei se custou, se demorou… só sei que "viajei"…


Lembro-me de ter estado num almoço com malta conhecida…todos a fumarem “faz-me rir” e a beberem café com leite, acompanhado com panquecas e bolos de canela! Trocamos bilhetes para o Museu (?)Aliança Underground e alguns tiveram uns vouchers para um bar muito conhecido de streap-tease…

A determinada altura estavam todos calados, de olhos fixos nos telemóveis e eu a… cantar?!

«Que horror! Tu, a cantares? E ninguém te mandou calar? Nem atirou nada à cabeça?» 

Chama mas é um táxi que estou com fome e está muito calor. 

«Será que a tua mulher deu a pastilha certa?»

Mas afinal onde vamos almoçar?

«Ao sitio do costume. Onde querias? Tens é que beber menos»



Este texto/brincadeira é dedicado ao meu amigo JL a quem dou as boas vindas à nova condição de aposentado. Que venham muitos dias com ou sem almoço, mas sempre em alegre companhia e sã convivência, por muitos e bons anos. Não somos eternos, mas sei que esta nossa amizade, de longa data, será algo que ficará para sempre nas nossas vidas e na memória daqueles que sempre nos rodeiam e com quem partilhamos este sentimento, AMIZADE, algo de valioso que sempre soubemos cuidar e"alimentar".

Grande abraço! Estamos aí, sempre! 

Tudo de bom!

:)
;)

25 de agosto de 2016

A vaguear numa manhã de nevoeiro

Hoje o dia nasceu cinzento, com bastante nevoeiro e temperatura mais baixa. Não há dúvidas que os centros comerciais, vão estar com muita gente a “passear”, tão certo como ser quinta-feira neste mês de Agosto de 2016.

V
ejo o correio e deixo-me ir à boleia… de viajantes (aventureiros), que acompanho desde sempre e que admiro imenso.

Pedro Darkman
Já foi de Portugal a Singapura por terra, sempre que possível à boleia. Depois foi de bicicleta de Portugal a África do Sul.


Tiago e Dani
O projecto, consiste em «atravessar o Continente Americano… de bicicleta». E já estão em viagem há um ano.



Hernani Cardoso
«Esta é uma viagem de bicicleta à volta do Mundo visitando o legado material e imaterial de origem portuguesa e que se encontra espalhado pelos 5 continentes
Está neste momento a chegar à China e em viagem desde Maio 2014.



Javier Bicicleting
Um espanhol a dar a volta ao mundo em bicicleta,  muito bem documentado através de fotos fantásticas. Um projecto já com 4 anos, muitos países e milhares de kms percorridos.



Poderia aqui falar de mais um ou outro caso, mas estes são os que acompanho mais de perto, que me fascinam imenso e me levam ás vezes, a desejar partir… partir sem data marcada para regresso. 

Mas isso sou eu, a vaguear numa manhã de nevoeiro.

Tudo de bom.

:)
;)