10 de junho de 2017

Disso eu entendo muito bem.

É verdade, há coisas que não entendo e não há mesmo volta a dar. 
Por exemplo:

- Sou obrigado (mesmo sendo careca), a usar touca sempre que vou para a piscina, seja em utilização livre ou em aulas. OK. Mas agora pergunto, e os utilizadores que têm mais barba (é moda) que cabelo? E aqueles que são autênticos tapetes de arraiolos a p/b? Hein? Como é que é?


Não entendo.😕

- Segundo as normas internacionais em vigor, eu não posso levar na minha bagagem de mão/cabine, os meus produtos de higiene e afins, tipo perfume, creme de barbear, creme hidratante, gel de banho (sou vaidoso, eu sei), a não ser naqueles frasquinhos minúsculos que mais parecem os frasquinhos que usamos para fazer análises…. No entanto, mal o avião levanta voo e ainda nem sequer coloquei os auriculares nos ouvidos, já estou a levar com a venda tipo feira de Custóias (só falta mesmo o megafone) precisamente de produtos que eu sou impedido de levar, e em tamanhos XL. Como é?

Não entendo.😕


- Como condutor também tenho que ter em atenção (sempre tive) que devo guardar distância entre os ciclistas e sempre que tiver necessidade de os ultrapassar (consultem a lei que eu não sou o código de estrada), o que eu acho muito bem, pois também já fui ciclista. Mas agora pergunto eu, e os senhores “ciclistas” que se passeiam entre as viaturas, que não param nos sinais, passam para os passeios sempre que lhes dá jeito e que não efectuam sinalética nenhuma sempre que mudam de direcção, são filhos de algum ministro? VIP’s, ou serão algum novo tipo de veículo prioritário que desconheço?

Não entendo.😕

- Também é moda, e “bonito” ver agora pela cidade, pessoas que usam a referida bicicleta como meio de transporte para o seu trabalho e deslocações do dia a dia. Por mim tudo bem. Dizem que é ecológico, poupam dinheiro em transportes e cuidam da sua saúde e eu acredito que sim, mas não consigo compreender nem aceitar, como é possível eu ir a circular no meu carro, atrás de uma bicicleta, sem nenhuma luz, conduzida por um adulto com auscultadores (!) nas orelhas,  e  que leva  numa daquelas “cadeiras” ou “cestos” (não sei como lhe chamar), uma criança?! Como é que é? 
Como condutor e sempre que transporto uma criança, sou obrigado a usar uma cadeira própria (certificada e muito cara), cinto de segurança e ai de mim que o não faça.



Não entendo.😕

Mas há mais coisas que não entendo, que vão ficar para outra ocasião. É sábado, está um dia bonito, é feriado nacional, dizem que é Dia de Portugal, o beijoqueiro e Presidente das ‘Selfies’ anda pela cidade, e eu tenho que tratar da minha mala de viagem sem o meu perfume preferido… lá terá que ser.😊


Nos próximos dias estarei a saborear  “a minha primeira vez”, e disso eu entendo  muito bem. Como tal, é muito provável que não tenha muito tempo para passar por aqui, mas fica a promessa que depois contarei (não tudo, claro) como foi. 
Até lá já sabem, fiquem bem!

😎


Tudo de bom.

:)
;)

3 comentários:

  1. Também não entendo muitas das coisas que tu não entendes...
    Devemos ser mesmo burros! :)

    Vais viajar? (e pelos vistos não é para o local habitual!)
    Já sabes, aqui a cusca quer saber tudo.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  2. Ui há tanta coisa que não se entende e o pior é que vamos ficar sem entender mesmo!
    cuidado com a primeira vez. Só custa a primeira mas convém que seja devagarinhooo.
    Tudo de bom.

    ResponderEliminar