Numa relação interessante


Tenho a dizer-vos que pela primeira vez, comprei um smartphone! É verdade. Até aqui usava  as “retomas” do pessoal cá de casa sempre que mudavam de dito cujo, mas desta vez decidi escolher e comprar um «à minha imagem» pois claro. 



Como sou muito esquisito e cuidadoso com as compras que faço, ainda demorei algum tempo a decidir, não só porque a oferta é imensa , mas, mais importante ainda, devido ao plafond disponível ter limite e não ser aconselhável ultrapassar. 

Não vou dizer a marca porque não me pagam para tal, mas posso adiantar que estou bastante satisfeito, direi mesmo “apaixonado” por este novo brinquedo maluco, com uma excelente relação qualidade/preço.


Ele sabe a que horas eu acordo, os dias que tenho compromissos, as minhas preferências musicais, que tempo vai fazer, se posso ir de calções e manga curta, se vai estar trovoada, sol ou chuva, avisa quando tenho mails para ler, dá-me imagem dos meus contactos quando me ligam (o que é bom quando estou sem óculos), avisa-me, quando estou de serviço à cozinha, se tenho alguma coisa no forno, e até me diz onde posso ir tomar o meu pingo matinal.


Ora, o que eu não sabia, é que o maluco também me pode “espiar”…«Alberto, a tua frequência cardíaca está acima do recomendado»… What? Mas que é isto? Queres ver que ele…  passas a ficar na sala.

«Eu não acredito em bruxas, mas que as há, lá isso há». Dito em espanhol  ficaria muito melhor, mas o que vale é a intenção, e em mês do coração é necessário poupar a mente e (não) evitar determinados esforços… pelo menos alguns. 💓


Tudo de bom.

:)
;)

O enfermeiro e a injecção


O enfermeiro J foi um dos enfermeiros de serviço nos cuidados intensivos, que levou comigo e a quem eu dei muito trabalho (dizem, porque não me lembro de nada) quando estive internado.
Já nos cuidados intermédios e depois na enfermaria, continuei a receber a visita do J de quem hoje sou um amigo. 

Sete anos depois do ‘evento’, ainda hoje me telefona, e sempre que possível vamos beber um copo para colocar a conversa em dia. O que eu nunca contei aqui e sempre que nos lembramos ficamos a recordar, foi uma cena ao final do dia, na altura do meu internamento, em horas de levar com medicação (incluindo uma injecção) … o J entra super irritado a gesticular, com um tabuleiro numa das mãos (com a medicação) e a outra mão a bater na cabeça…

- Ó sr. Flores, Ó sr. Flores...! Quem vai ficar doente do coração e ter uma PCR sou eu! Ai meu Deus, ajude-me.  Desculpe, desculpe…. Estou irritado! O meu amigo é alguém importante? Faz novelas, filmes, é escritor?…. Isto não pode ser, os telefonemas não param! São constantes os telefonemas a perguntar pelo meu amigo… ele é Doutores, e mais Doutores, e enfermeiros, e amigos, e … Ó homem de Deus, mais valia fazer uma conferência de imprensa, caragu! E é sempre no meu turno… veja lá que há um indivíduo (desculpe lá nem sei como chamar-lhe), que é tããããão chato! Fala com sotaque, diz que é o George Clooney ?! e quer saber se está melhor e quando é que tem alta?! Já viu? Hoje já ligou duas vezes!…. Parvalhão. Desculpe lá Sr. Flores, mas hoje isto está difícil, e levar com um tipo que diz ser o George Clooney, é demais, certo?

Eu, que até ali estava só a ouvi-lo, sentei-me na cama e digo-lhe assim textualmente, olhos nos olhos… 

- Enfermeiro J, o George Clooney é meu amigo de verdade e deve estar preocupado, como todos os meus amigos e familiares, e, como tal tenta saber algo por telefone já que não se pode deslocar cá. E já agora, fique a saber que hoje de tarde a Jennifer Lopez  veio visitar-me!

Resposta do enfermeiro que entretanto tinha pousado o tabuleiro e colocado as mãos nos bolsos da bata (com uma cara muito séria): 

- Acho que vou falar com o Dr…. O meu amigo, ao que me parece, já não deve precisar de tomar esta injecçãozinha.  

(Amigo J, conforme prometido aqui está a “nossa história”. Grato eternamente por todo o carinho, profissionalismo e atenção de sempre. Bem-hajas!)


Tudo de bom!

;)
:)

Viver e agradecer.

Já sei que vão dizer «lá está ele a falar do mesmo»... mas, pouco importa e  nem tão pouco é negociável. 
É óbvio que tenho que falar do assunto, tenho que ir (como sempre) ao ginásio (desta vez a uma aula de hidro), enviar uma sms a alguém em especial, comemorar, e, como não podia deixar de ser, demonstrar (se é que isso é possível) mais uma vez a minha eterna gratidão.



Bem-hajam!

Tudo de bom.
:)
;)

Tradição, amizade e coração


Maio é o Mês do Coração, e é também com o coração, que se dá início aos preparativos para mais uma época de Santos Populares que se aproxima.


Até lá há muito para fazer, mas estou certo que o resultado final será, como sempre, aquilo que se espera .

Por estas bandas a tradição continua e continuará, porque a amizade e o coração gostam muito.


Cuidem do vosso coração.
Tudo de bom!

:)
;)

Quanto mais (me) bates

Acordo e vejo que ela não está deitada na cama… onde se meteu o raio da mulher? Talvez esteja já a tomar banho ou a tratar do pequeno almoço, quem sabe?
Sorte a tua, querias tu (digo eu) a um sábado? Tratar do pequeno almoço?
Ó mulher, onde estás tu?... a casa não é assim tão grande para te perder e não me está nada a apetecer jogar ás escondidas.
Espreito mais uma vez… não está a tomar banho, não está a tratar do pequeno almoço, não está no terraço… mau maria. Dou comigo a espreitar debaixo da cama não vá ela querer mesmo jogar ás escondidas, mas nada…
Vou novamente à sala e reparo num papel pousado na mesa… «Bom dia! Fui treinar, apanha-me se puderes. Bjs»
Olha-me este(a)💓 . Quanto mais (me) bates mais eu gosto de ti.💓💓
Tudo de bom.
:)
;)