23 de abril de 2017

Entrei solteiro e saí noivo


No meio da sala estava uma miúda que eu conhecia e que dançava muito bem. Não era muito habitual aparecer nos bailes, e quando aparecia era quase sempre acompanhada pela família (controladora).
Deixei tocar uma música,  outra e reparo que tinha dado tampa a alguém que lhe tinha pedido para dançar… vai daí, quando começou uma nova música, fui ter com ela e sem uma única palavra estendo-lhe a mão ao que ela acedeu com um sorriso enorme e um olhar discreto para a irmã que ao lado estava a segurar-lhe no casaco. 

Acreditem se quiserem, ainda hoje me lembro desta cena toda como se fosse hoje… o penteado dela, as calças de ganga que levava, a blusa branca (desapertada até ‘ao maldito botão’), os brincos, as pulseiras e aquele perfume suave que só se sentia quanto estava um pouco mais juntinho a ela…


Estava a pensar que não querias dançar comigo. Finalmente… raramente apareces… e quando apareço quase não me ligas nenhuma, chego mesmo a pensar que me ignoras… deixa-te disso e dança… eu danço, eu danço sempre que quiseres… e vê se não me calcas… eu consigo dançar e conversar ao mesmo tempo… está bem, mas agora dança, depois conversa.


Dançamos toda a noite… mesmo com uma ligeira dor de dentes que me afligiu no início, mas que entretanto tinha parado… ou melhor, parou porque bebi uns bagacitos para adormecer a boca. O pior é que adormeceu a boca e o juízo.

A determinada altura, no meio do nada, ou melhor, no meio do entusiasmo, pergunto à minha companhia da noite… «Queres casar comigo?»

 … E não é que o raio da miúda disse que sim!?

É caso para dizer que entrei no baile solteiro e saí noivo, e dava início aos dois anos mais loucos de toda a minha existência.


Tudo de bom.
:)
;)


7 comentários:

  1. Existem momento assim, daqueles que mudam a nossa vida por completo! Gostei desta partilha!

    Desculpa ter incomodado, mas como não me lembrava quanto tempo ias estar de férias comecei a estranhar a ausência!

    Bjxxx
    Ontem é só Memória | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
  2. Isso é que foi ser rápido! bastou uma dança para dar em casamento? Há dias assim. E que dure por muitos anos :)
    Tudo de bom

    ResponderEliminar
  3. Uma dança para a vida inteira?
    Que continuem acertando o ritmo pelo resto da vida.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  4. Fantástico...também quero ir a um baile assim e arranjar um noivo ;)
    Beijinhos e aquele :)

    ResponderEliminar
  5. E já dançam juntos à um bom par de anos, não é verdade?
    Excelente texto - adorei!!!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  6. Pois foi, Alberto, mas olhe que li este post, ontem, antes de comentar o mais recente, e, como de costume, ri-me imenso.

    O menino tinha uma "lata", k ainda hoje conserva, diga-se! Mas, deixe k lhe diga que isso, pra mim, tem um certo encanto, embora saiba que esteja a ser "levada", "enganada", "engraxada", etc. e tal.

    Então, a menina não resistiu às suas doces "investidas" e zás, aceitou logo à 1ª. Aquele "maldito" botão tirou-lhe o resto da "paisagem", k viu, minuciosa e alarvemente (rs) logo depois, mas, deixe k lhe diga k a menina tb se gostava de arejar, em demasia, e estava bien loin da menopausa, como é lógico. Vá lá uma pessoa entender as mulheres!

    Beijinho com elevada estima.

    ResponderEliminar
  7. Dance me to the end of love :)
    Assim vale a pena..pois decerto que a alma nao era pequena-
    Brisas doces *

    ResponderEliminar